A escolha por uma profissão é, e sempre será um dilema na vida de uma pessoa. Esse momento aparece muitas vezes na infância, quando temos que responder “o que você vai ser quando crescer? ”. A diferença de quando somos crianças e quando estamos na frente da ficha de inscrição para o vestibular é a pressão e o tamanho da responsabilidade. O jovem acaba se cobrando mais no sentido de pensar que é uma decisão para a vida inteira – o que não é verdade! Ainda mais no cenário atual em que vivemos, onde as mudanças são cada vez mais rápidas, é indispensável pensar em outras opções para entrar no lugar daquelas que foram ficando obsoletas.

E por onde começar o desafio de escolher uma profissão? A primeira tarefa consiste no exercício do auto-conhecimento – é o olhar para dentro. Sócrates já recomendava: “Homem, conhece a ti mesmo, assim conhecerá os deuses.” Algumas atividades podem ajudar neste processo, por exemplo, listas simples do que se gosta e o que não se gosta de fazer já é um bom começo! E dentre as atividades que você gosta de fazer, quais as que você faz bem? Essa auto-reflexão é muito importante para ter consciência da vocação, quais as habilidades, gostos e personalidade. É possível contar com um profissional psicólogo e fazer o processo de orientação vocacional.

Em seguida, é recomendável procurar as carreiras que possam combinar com você e buscar a maior quantidade possível de informações sobre elas. É o que chamamos de Pesquisa de mercado. Essa atividade é muito importante pois não adianta saber/gostar de realizar determinada atividade, se o mercado não valoriza este trabalho. Há de se pensar na valorização e possibilidades de atuação. Perguntas interessantes podem vir a calhar neste momento – esta atividade é função de algum profissional? Há mercado de atuação para este profissional? É uma profissão do futuro? Qual o curso que oferece esta habilitação? Qual a faculdade oferece este curso? A sugestão é procurar por palestras, conversar com profissionais da área, campo de atuação, remuneração, necessidade de cursos /idiomas que a profissão exige. Ler mais sobre essas profissões ajuda a descobrir quais os desafios que são impostos ao profissional. Algumas faculdades permitem que pessoas de fora assistam uma aula do curso para verem se há interesse naquela área.

A partir daí, com todas as informações: auto-conhecimento e pesquisa de mercado, é possível elaborar um Plano de Ação, que consiste em traçar a melhor rota para se chegar ao objetivo. Este plano de ação precisa ser realista, desenhado passo a passo, com prazos e atividades que vão levar ao propósito maior. A revisão do plano de ação deve ser constante para possíveis correções na rota. Elaborar uma plano de ação e colocá-lo em prática, faz com que o profissional esteja mais preparado para as oportunidades de carreira que vão surgir!

O que está em alta no mercado?

Administração é um curso que sempre está em alta por ter grande chance de empregabilidade. O curso permite que o aluno atue em diversos departamentos de diferentes organizações. O profissional que trabalha nesta área deve ser dinâmico, comunicativo e ter perfil estratégico.

As Engenharias também tem bastante atuação no mercado por conta da diversidade. O profissional que escolhe atuar como engenheiro deve se atualizar constantemente com pós-graduação e outros cursos. Ter um segundo idioma também é importante, pois o mercado costuma exigir principalmente o inglês dos profissionais.

A Tecnologia da Informação é um campo em constante ascensão.  O avanço tecnológico e o aumento do uso da tecnologia também fez crescer a necessidade de profissionais que lidam de alguma forma com a computação e sistemas de informação. Há diversos cursos voltados para a área de TI:  Engenharia da Computação, Ciência da Computação, Sistema da Informação, Redes de Computadores, Sistema para Internet, Gestão de TI, entre outros.

Marketing também é uma área em expansão. As organizações estão se utilizando de marketing digital através de redes sociais, por exemplo, para criar e administrar o marketing de seus negócios. Neste sentido, há a necessidade de um profissional criativo e antenado e ágil com uma boa formação para realizar este trabalho.

 

Ana Carolina MussioPsicóloga, especialista em Administração de Recursos Humanos e em Design Instrucional para EaD. Possui 12 anos de experiência em RH. Atua como professora universitária nas áreas de comportamento, recursos humanos e gestão de pessoas. Consultora de RH e Carreiras e Coach Pessoal e Profissional.

 

Tags: